1.png

CONHEÇA OS

BOLSISTAS BRASA

Conheça os dez estudantes que formam a quarta geração de Bolsistas BRASA

 
Felipe Bandeira P&B.png

Felipe  Bandeira Ramos

De  Olinda, PE

Estudante de  Ciências da  Computação e Economia

Laryssa Coe P&B.png

Laryssa Lucena 


De Recife, PE

Estudante de Linguística e de  Native American Studies

_Leonardo Frazão P&B.png

Leonardo Frazão

Do   Rio de Janeiro,  RJ

Estudante de Economia e Filosofia

Sofia Santos de Oliveira P&B.png

Sofia Oliveira

De  Belo Horizonte, MG

Estudante  de   Química e Ciências  Sociais

Victor Silva P&B.png

Victor Diniz

De Recife, PE

Estudante de Estudos Ambientais e Economia

Aisha Paz P&B.png

Aisha Lemos

De     Fortaleza,  CE

Estudante de  Ciências Biológicas e Ciências Políticas

André Alves-11.png

André Santos

De Queimadas,  BA

Estudante de Música

João Fyllyppy P&B.png

João Fyllyppy

De Esperantina, TO

Estudante de Ciências Farmacêuticas e Biomedicina

Leticia Vieira P&B.png

Leticia  Vieira

Do Crato, CE

Estudante de  Engenharia e Astronomia

_Lisiane Alves P&B.png

Lisiane Alves

Do Rio de Janeiro, RJ

Estudante de Psicologia

P3.png

FELIPE RAMOS

Felipe cresceu na periferia de Olinda e desde cedo se deparou com coisas que simplesmente não deveriam existir: fome, violência, desemprego. Quando criança, questionava quem deveria resolver tudo aquilo, e os adultos o respondiam prontamente: "o governo, o governo". No entanto, o poder público parecia sequer existir em muitas partes da periferia, e as mudanças que aconteciam vinham sempre da sociedade civil. Foi inspirado por pessoas anônimas que agiam por inconformismo que o Felipe começou a agir também.

No começo, era tudo muito simples: ele arrecadava livros para escolas públicas, ou donativos para comunidades afetadas por desastres naturais. Mas com o passar dos anos, as suas minhas ações, anteriormente feitas por paixão e inquietude, passaram a se basear em técnica e profissionalismo. Dessa forma, começou a se engajar em iniciativas maiores, sempre questionando o impacto trazido pela implementação dessas ações sociais..

 

Diante disso, Felipe tornou-se Presidente de uma ONG estudantil, em que criou iniciativas de emergência na pandemia e passou a integrar uma rede de impacto global. Nos últimos quatro anos, liderou iniciativas que impactaram mais de 300 pessoas, bem como ajudou a criar outras que alcançaram mais de 2000. Diante disso, ele sente que há sem dúvidas pessoas incríveis trabalhando em soluções grandiosas no Brasil — mas que, infelizmente, parecem ainda não serem suficientes diante dos problemas que nos assombram.

 

E se no território nacional ele não encontrou respostas que acalmassem a sua urgência, Felipe passou a buscá-las no exterior. Foi aceito para estudar em Minerva, uma das universidades mais inovadoras do mundo, que permite-o mudar de país a cada semestre durante toda a minha graduação. A rotação global o possibilita se conectar com empreendedores sociais locais em cada um desses países, buscando aprender como transformam suas comunidades e tendo contato com soluções que possam ser implementadas de volta no Brasil.

 

O seu sonho, afinal, é transformar o Brasil numa referência em inovação social a partir de de duas formas: criando negócios de impacto aqui e cooperando pra desenvolver soluções de ponta a nível internacional.

.

Conheça os quinze estudantes que formam a terceira geração de Bolsistas BRASA

 
-_anabeatriz_p_b.png

Ana Beatriz Studart

De  Fortaleza, CE

Estudante de Matemática e Biologia Computacional

-_antonio_p_b-36.png

Antonio Jorge  | Poa't


De Governador Valadares, MG

Estudante de Linguística e de  Native American Studies

-_beatriz_p_b-39.png

Beatriz da Silva Falcão

De  Manaus, AM
Estudante de Ciências Políticas e Educação

-_davi_p_b-35.png

Davi Coscarelli

De  Belo Horizonte, MG

Estudante  de Ciências da Computação

-_douglas_p_b.png

Douglas Maragon

De Florianópolis, SC

Estudante de  Economia  e Negócios

-_isabele__p_b.png

Isabele Vitório

De  Sorocaba, SP

Estudante de Ciências da Computação e Ciências Naturais

-_joão_p_b.png

João Ricardo de Morais

De  Santa Cruz, PI

Estudante de Governança Global e  Ciências Políticas

-_matheus__p_b.png

Matheus Coutinho da Silva

Do Rio de Janeiro, RJ

Estudante de Ciência da Computação    e Neurociência

-_victor_p_b-41.png

Victor Maia Dubeux

De Recife, Pernambuco

Estudante de Bioengenharia e Negócios

-_flavia_b&w.png

Flávia Iespa

De Rio de Janeiro

Estudante de General Studies

Maria Julia da Silveira Castro

De Goiânia, Goiás

Estudante de Social Sciences

Gabriel Bio Guerra

De Guarujá, São Paulo

Computational Sciences e Business

-_natan_p_b.png

Natan  Ferreira

Do Rio de Janeiro, RJ

Estudante de  Ciências da Computação

-_palloma_p_b(1).png

Palloma Izidio

De Barra Mansa, RJ

Estudante de Música

-_yuri_p_b.png

Yuri Costa

De Juiz de Fora,  MG

Estudante de Engenharia e Políticas Públicas

P3.png

ANA BEATRIZ CAVALCANTE

A Ana Beatriz sempre acreditou que não havia nada mais significativo do que ajudar outras pessoas a cuidar do seu bem mais precioso: a saúde. O sonho de ser médica, que perdurou durante toda sua infância, tornou-se mais direcionado quando uma criança da sua convivência faleceu devido a uma leucemia. Como uma criança, ver a morte de alguém mais novo do que ela foi muito marcante, e foi assim que ela sentiu um propósito na Oncologia.

Com o decorrer do tempo, esse sonho foi adaptado. No sexto ano, foi aprovada para o Colégio Militar de Fortaleza e lá foi apresentada às olimpíadas científicas. Ao longo da sua trajetória escolar, foi medalhista em 36 dessas competições nas áreas de astronomia, física, informática, robótica e matemática. Essa última, no entanto, foi a que mais se interessou: focou seus esforços em representar o Brasil em olimpíadas internacionais de matemática, o que alcançou seis vezes.

Treinando para essas competições de alto nível, notou a baixa participação de meninas nesses ambientes e quis dar suporte para outras garotas. Então, em 2018, co-fundou o Projeto Sem Parar, iniciativa voluntária baseada no conceito de meninas ensinando ciências para outras meninas. Até agora, foram mais de 800 alunas de todos os estados do Brasil impactadas por mais de 45 voluntárias.

Além de continuar apoiando o sonho de outras meninas nas ciências, encontrou uma maneira de realizar o seu sonho de juntar matemática e medicina. Pretende pesquisar as aplicações matemáticas na biologia computacional para desenvolver métodos de tratamento e diagnóstico para o câncer. Espera voltar ao Brasil, contribuir para o desenvolvimento da pesquisa nacional e continuar incentivando o contato de jovens com as ciências.

Conheça os seis estudantes que formam a segunda geração de Bolsistas BRASA

 
PDB_2021_gabriel.png

Gabriel Manoel  da Silva

De Gravatá, Pernambuco

Estudante de    Ciências da Computação e Psicologia

PDB_2021_giullia.png

Giulia Jacques Caldeira

De Belfort Roxo, Rio de Janeiro

Estudante de Business e Social Entrepreneurship

PDB_2021_joão.png

João Pedro Araújo de Madeiros

De Taubaté,  São Paulo

Estudante de Ciências Políticas e da   Computação

PDB_2021_laura.png

Laura Leal De Souza

De Belo Horizonte, Minas Gerais

Estudante de Gestão Pública e Neurociências


 

PDB_2021_luiza.png

Luiza Vilanova

De Goiânia, Goiás

Estudante  de Políticas Públicas, Educação e Saúde Global

PDB_2021_robson.png

Robson Amorim

De São Paulo, SP

Estudante de Ciências da Computação e Business 

GABRIEL MANOEL DA SILVA

Gabriel tem 22 anos e nasceu em Gravatá, interior de Pernambuco. Veio de uma família de agricultores que não tiveram a oportunidade de estudar, seu pai se formou no ensino médio quando ele tinha 65 anos. Por isso, a educação sempre foi muito importante para o Gabriel. 

Estudou em escolas públicas e se comprometeu a tirar proveito de tudo que a escola oferecesse. Fez olimpíada de matemática, participou de concursos de história e organizou eventos estudantis. No ensino médio ele transferiu para uma Escola técnica e mesmo com a rotina pesada, idealizou diversos clubes culturais: de leitura, dança, esportes e religião. Aos 16 anos, graças ao Programa Ganhe o Mundo, pensado pelo governo de Pernambuco, ele foi selecionado para fazer intercâmbio no Canadá. 

Aos 15 anos ele aprendeu inglês e ao 17 comprou uma escola de inglês para ajudar outros jovens de sua comunidade. Ele viu que o inglês era uma forma de ajudar outros jovens e crianças da sua comunidade a sonharem mais alto e terem suas perspectivas de futuro ampliadas. Durante 18 meses ele e a irmã trabalharam para oferecer aulas de muita qualidade por um preço acessível.

 

Atualmente está em seu segundo ano na Minerva Schools at KGI onde estuda Computação e Psicologia. Ele espera impactar a educação no Brasil usando a tecnologia para alavancar a psicologia do desenvolvimento.

Conheça os seis estudantes que formam a primeira geração de Bolsistas BRASA

 
PDB_2021_melissa.png

Solange Melissa Oliveira

De Manaus, Amazonas

Estudante de Ciências Políticas


 

PDB_2021_maycon.png

Maycon Cesar Santos 

De Janaúba, Minas Gerais

Estudante  de Economia Quantitativa e Educação

PDB_2021_joãoquintalha.png

João Victor Quintanilha

De Goiânia, Goiás

Estudante de Ciências da Computação e Biotecnologia

PDB_2021_henrique.png

José Henrique Lima

De Mogeiro, Paraíba
Estudante de Relações Internacionais

PDB_2021_fellipe.png

Felippe Couto

De São Gonçalo, Rio de Janeiro

Estudante de Ciência da Computação e Administração

PDB_2021_marina_edited.png

Marina Ruela Rocha Rosignoli

De Ubá, Minas Gerais

Estudante de Ciências Políticas 

MARINA RUELA ROCHA ROSIGNOLI

“Como ativista pela igualdade de gênero, possuo como sonho o dia em que mulheres terão o devido reconhecimento que merecem após exercer excelentes papéis em suas respectivas funções. É necessário preparar um futuro meritocrático pautado numa educação de qualidade para todos sem impedimentos decorrentes do gênero."

Como sempre foi aluna de escola pública, Marina pôde ver de perto as falhas que circundam a educação brasileira. Pensando nisto, e na demanda recorrente pela igualdade de gênero, ela sonha em fazer uma mudança real no Brasil.

 

Na jornada de candidatura para universidades no exterior, ela encontrou muitas barreiras impostas por seu contexto socioeconômico. Porém, sem nunca perder o foco dos estudos, Marina criou a sua própria empresa de doces, chamada Delícias da Inna, para financiar os altos custos do processo de candidatura. 

 

Marina se aprofundou na sua bandeira de luta relacionada à igualdade de gênero e teve a oportunidade de ir como bolsista para a sede das Nações Unidas em Washington D.C, onde pôde conversar com senadores americanos no congresso durante a conferência da organização Girl Up, evento patrocinado pela Organização das Nações Unidas. Marina também fundou e é colunista do blog Diversitas, onde escreve sobre temas relacionados a economia, igualdade de gênero, bem-estar e política. Hoje, o blog já possui um alcance em mais de 10 países e possui novas publicações todos os meses. Em 2019, começou a trabalhar no SuperMentor, onde ela contribui para promover maior acessibilidade a jovens de todo o Brasil quanto ao processo de candidatura para as universidades americanas.

 

Com a aceitação na Universidade de Roma Tor Vergata, na Itália, para estudar Ciências Políticas com foco em economia, Marina busca continuar seu autoconhecimento e se capacitar para voltar para o Brasil e colocar em prática seus conhecimentos, sempre lutando por suas causas.